10 de mar de 2015

Vulcano - Entrevista ao Underground's Voice, de Portugal


Prestes a realizarem sua 5a.visita ao Velho Continente, o Vulcano fará seu 1o.show em Portugal, sendo uma das atrações principais do "El Infierno Summer Fest", evento que se realizará entre os dias 09 e 15 de agosto, em Monte Gordo, região de Algarve (sul do país). Confira abaixo a entrevista cedida em fevereiro,pelo guitarrista Zhema Rodero ao Chris, editor do Underground´s Voice:


Underground's Voice - Começo por dizer que é uma enorme honra vos receber na Underground's Voice. São um dos maiores nomes do metal Brasileiro, bem como uma das melhores e mais respeitadas! Como se sentem com esse reconhecimento?
Zhema Rodero - De um modo geral nos sentimos orgulhosos, pois afinal foram mais de 35 anos na cena de metal sem se queixar sem se cansar e tampouco perder o ânimo.

U.V - Já são quase 35 anos de carreira, parabéns por essa incrível marca! Que balanço fazem de todos estes anos?
Z.R. - Eu creio que tudo que aconteceu com o VULCANO, aconteceu no momento certo. Tivemos nossas oportunidades e aproveitamos todas de nossa maneira. Foram 11 álbuns inéditos alguns “split” e participações em coletâneas, bem como, algumas turnês Européias, USA e inúmeros shows no Brasil e America do Sul. E atualmente somos reconhecidos como importante banda da cena de Metal mundial. Creio que é balanço positivo.  

U.V - O vosso mais recente álbum "Wholly Wicked" foi lançado no ano passado. Como o definem?
Z.R. - É uma evolução natural de seu predessessor “The Man, The Key, The Beast”. Possui ótimas músicas percorrendo um estilo bastante marcante, rápido sem ser ignorante e bastante audível em seus arranjos. Eu gosto muito deste álbum. Os temas versam sobre a ignorância e intolerãncia por trás das três Religiões reveladas. A arte do álbum tenta mostrar isso de uma forma gráfica. Aconselho aquele que ainda não ouviu o álbum, que o faça imediatamente.


U.V - Como foram os seus processos de composição/gravação?
Z.R. - Como disse, este álbum veio logo em seguida ao “The Man...” eu ainda tinha muito “riff” e vontatde de compor após o lançamento do “The Man...” e então escrevi novas músicas e apresentei-as ao Arthur (the drummer) e então fizemos os arranjos finais e fomos logo para o estudio gravar aquelas músicas... O Arthur gravou todas as faixas de bateria em duas sessões e Eu com mais calma fui colocando as guitarras e arranjos e depois de algumas semanas chamamos o Luiz Carlos e ele fêz os arranjos de voz. Por fim o Ivan gravou os baixos e fêz o trabalho de mixagem, masterização etc.
 
U.V - Que reacções obtiveram dos fãs e críticos ao álbum?
Z.R - Houveram poucas resenhas por críticos para esse álbum e portanto não tenho uma percepção adequada de como a crítica o recebeu, porém por parte dos fãs houve uma aceitação ótima, excelentes comentários, parabenizações e as vendas mostraram isso. O sucesso foi grande, pois dois meses após o lançamento dele eu licenciei este álbum para a America do Norte.

U.V - São uma banda muito activa em lançamentos. Podemos esperar um novo álbum em breve? Que planos têm para este ano?
Z.R. - Sim, ano de 2014 colocamos fora “Wholly Wicked” ; LIVE II – Stockholm Stormed e o EP “The alwakening of an ancient and wicked soul”. Estamos preparando mais 4 músicas inéditas para serem bonus no EP e muito provavelmente começaremos a trabalhar em um novo álbum para outubro deste ano.  


U.V - Sentem-se uma grande influência para as bandas que estão agora a dar os primeiros passos?
Z.R. - Sim, acho que somos um bom exemplo de persistência, garra e equilíbrio para as bandas começando. Eles nos enchergam como verdadeiros guerreiros e isso motiva eles e nós.


U.V - Vão tocar pela primeira vez em Portugal este ano. Porque demoraram tanto tempo a chegar cá e o que podemos esperar do vosso concerto?
Z.R. - Sim, estaremos pela primeira vez na Península Ibérica. Portugal será nosso primeiro concerto. Preparamos um show comemorativo do de 30 anos do LIVE! Álbum e também vamos executar na íntegra o álbum “Bloody Vengeance”.
U.V - Como está a vossa agenda nesta altura?
Z.R. - Começamos nossa “Wholly Wicked Tour” no final do mês passado no Sul do Brasil, temos pela frente importantes concertos como em São Paulo, Rio Grande do Sul, Assunción Paraguay, Natal, Fortaleza no Nordeste do País, bem como USA e European Tour.

U.V - O que nos podem dizer sobre o Underground Brasileiro actual?
Z.R. - Existem dois “Undergrounds”, um verdadeiro onde se encontram a maioria das boas bandas Brasileiras despreocupadas com com sucesso, fama e mídia, fazendo aquilo que realmente gostam de fazer, e um segundo “underground” , menor , no qual bandas procuram por fama, mulheres e fortuna. Esses são uns imbecís.

U.V - Conhecem alguma coisa sobre o Metal Português? São fãs de alguma banda?
Z.R. - Conheço muito pouco, Prayers of Insanity, Moospell, mas sou apreciador mesmo do do “DECAYED”, sei que eles não existem mais...

U.V - Conseguem destacar 2 momentos na história da banda (um positivo e um negativo) que vos marcaram particularmente?
Z.R. - O primeiro show em Londres no LIVE EVIL onde o Ghost abriu o show para o VULCANO foi um ponto alto e a morte de nosso guitarrista Soto Jr. Foi horrível !



U.V - Por fim quero agradecer mais uma vez a disponibilidade para a entrevista e desejar tudo de bom para a banda! Últimas palavras para os leitores da Underground's Voice?
Z.R. - Grato à você pela oportunidade de responder algumas perguntas para o público Português e lembro que estaremos em Agôsto em terras Portuguesas e esperamos vê-los. Grato a todos vocês  fãs do VULCANO e mantenham-se na cena! 

Entrevista extraída do link: https://www.facebook.com/UndergroundsVoice

Nenhum comentário: